...

...

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Ela não tem coração


Por Dai Cravo
Moço, ela não tem coração. Corre, foge, grita, some, esquece. Faça tudo isso enquanto ainda tem tempo. Daqui a pouco pode ser tarde demais.
Me ouve moço, me ouve.
Eu sei que se conselho fosse bom não se dava, vendia. Mas acho que ela vendeu o coração moço. Ou doou. Ou deu. De graça.
Talvez, não sei. Tô só falando.
Fiquei sabendo que isso foi de uns anos pra cá. Antes moço, ah, antes ela tinha um coração bonito, leve, mole… não tem mais. Um passarinho verde me contou que de tanto apanhar ele parou de bater.
Será moço?
Mas ainda dá tempo de correr e foi isso que vim te avisar. Mas corre dela e não pra ela. Você tá fazendo isso errado.
No fundo eu te entendo. Mas é errado.
Eu sei que dá uma vontade de ficar perto porque, apesar de não ter coração, ela tem razão. Ela espera, ela não cobra, ela é esperta, ela ri alto, ela fica descabelada, ela não tem frescura e ela gosta de qualquer coisa simples que você faça por ela. Mas ela não liga né moço? Ela é durona, ela é difícil, ela não dá o braço a torcer e nem adianta tentar fazer ciúmes porque ela não cai.
Tô falando moço: corre. Rápido. Ou não.