...

...

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Minha namorada pesa mais do que eu, e dai?

 Ali Lawrie e Gloria Gloria Shuri enfrentam o preconceito por serem um casal. (Foto: Reprodução)Eu li esta matéria no yahoo e tive colocar aqui para todos verem!!! 


Não é sempre que se vê um cara sarado namorando uma gordinha. O escocês Ali Lawrie deu seu depoimento ao Yahoo após sua namorada, Gloria Shuri, contar o romance deles na web. Leia a história do casal!

"Quando minha namorada Gloria Shuri Nava escreveu um artigo sobre estar acima do peso e namorar um cara sarado, eu já esperava algum tipo de controvérsia. O que eu não esperava era que as pessoas do mundo inteiro fossem comentar o nosso relacionamento – até em programas de televisão! 


Como moro na Escócia, eu li a matéria antes de Gloria— o programa foi ao ar enquanto ela ainda dormia em São Fransisco. Em questão de algumas horas, o artigo recebeu um número incrível de comentários e compartilhamentos no Facebook.

Eu e Gloria lidamos com o preconceito diariamente, por isso já nos preparamos para os comentários ásperos. Porém, surpreendentemente, a primeira leva foi surpreendentemente positiva. Havia recados de apoio de outras mulheres acima do peso e homens magros que disseram não achar nada de estranho no nosso relacionamento.

A partir daí, os comentários negativos começaram a aparecer: "Ela é uma porca", "Juntos, eles parecem o número 10" e "Vai ver o cara é chegado numa baleia branca encalhada".

Minha primeira reação foi proteger Gloria. É engraçado: quando alguém diz algo tirando sarro de mim – seja meu cabelo ruivo ou pele branca ou meu sotaque de Glasgow — eu não me incomodo, mas quando leio comentários cruéis sobre Gloria, fico nervoso. Detestei a ideia dela ler o artigo e se deparar com esse tipo de comentário. Mas essa garota é durona. Ela sabe que esses comentários dizem mais sobre as pessoas que os redigiram do que sobre ela mesma. Em vez disso, ela foca no fato de que, ao divulgar nossa história, vai melhorar as coisas não apenas para nós, mas para outros casais que se sentem hostilizados.



Eu sempre namorei mulheres gordinhas. Da mesma forma que alguns preferem as loiras ou magrinhas, sempre achei as gordinhas atraentes. Mesmo assim, a sociedade ainda acha esse comportamento estranho. Para mim, estranho é quem pensa desse modo. Em 2010, quando contei a uma amiga que estava apaixonado por Gloria, ela respondeu: "Você não pode dizer isso, Ali— isso é maldade sua. Não brinque com isso". Quando disse que estava falando sério, ela disse: "Eu nunca esperaria isso, porque você gosta tanto de frequentar a academia, e ela é o oposto". Por que as pessoas dizem que “os opostos se atraem” quando um casal tem personalidades diferentes, mas quando se trata de diferenças físicas, é considerado incomum? 

A verdade é que Gloria e eu temos muita coisa em comum. Temos o mesmo sentimento em relação a nossas famílias – eles são as pessoas mais importantes em nossas vidas. Nossos pais nos ensinaram o valor do trabalho e da boa índole, e como deve ser nossa conduta em relação a nós mesmos e aos outros. Também possuímos um humor bem peculiar — vemos graça onde outras pessoas não a veem. Apesar disso, Gloria tem um senso de humor polêmico e consegue sair ilesa (qualquer um que já tenha visto seus vídeos no canal do YouTube Glowpinkstah sabe do que estou falando), mas eu não consigo. Sou meio tímido nesse sentido.

Embora eu tenha realmente me apaixonado por Gloria após tê-la conhecido melhor, não vou mentir: foi sua aparência que me atraiu primeiro. Quando vi a foto dela no Twitter, fiquei fascinado pelo formato do rosto e sorriso cativante! E seus olhos têm um brilho impressionante. Ela é incrivelmente linda. Quando as pessoas dizem que ela deu sorte, digo que o sortudo sou eu.

Depois de ver a foto, comecei a ler suas postagens no Tumblr. Em uma delas, ela escreveu que gostaria de conhecer alguém com quem ela pudesse manter uma amizade, mas que mais tarde se transformasse em amor. Fiquei intrigado com isso, porque sempre quis a mesma coisa.

Ainda assim, nunca pensei que fôssemos nos apaixonar. As pessoas dizem que não é possível se apaixonar pela Internet, e provavelmente eu achava a mesma coisa antes de acontecer comigo. No início, duvidei dos meus sentimentos. “Se ainda não a conheci, não sei como ela é pessoalmente – será que isso é mesmo amor?”. Mas quando você está com alguém que te entende de todas as maneiras possíveis, você sabe que é real.

Nos encontramos pela primeira vez quando eu fui visitá-la em São Francisco, dois anos e meio após começarmos a conversar. Assim que desci do avião, senti como se estivesse chegando em casa. Eu estava muito nervoso – não com medo, mas ansioso de antecipação. Por tanto tempo eu quis tê-la em meus braços, que acabou sendo melhor do que imaginava. Assim que a abracei, me senti totalmente seguro e relaxado. Não parecia que eu estava a conhecendo pela primeira vez. A sensação era de que tínhamos ficado separados por muito tempo, e finalmente estávamos nos reencontrando.

Agora, estou contando os dias até minha mudança para a Califórnia, onde vou cursar doutorado em psicologia clínica. Gloria também decidiu perder peso, e dou meu apoio a ela porque é a vontade dela, e no longo prazo fará bem para sua saúde. Mas, para o nosso relacionamento, não existe a necessidade de ela emagrecer.

As pessoas perguntam se eu e Gloria vamos nos casar. Vou dizer uma coisa: sempre achei que os melhores casamentos acontecem entre pessoas que são melhores amigos. Ter essa fundação é tudo. O conselho que dou aos outros é que você sempre deve procurar seu melhor amigo, porque as coisas podem florescer e levarem a algo que te pegue de surpresa. Você pode não estar esperando, mas, às vezes, o que você procura pode estar bem na sua frente".